Seios muito grandes podem causar problemas emocionais e de saúde. A mamoplastia redutora permite remover o excesso de tecido glandular e de gordura, sobras de pele e, ainda, reposicionar as aréolas. Dessa forma, torna as mamas mais harmônicas e leves, melhorando a postura corporal, além de facilitar a prática de atividades físicas. Sabe onde tudo isso reflete? Na autoestima da paciente!

Neste artigo, mostramos os principais aspectos das cirurgias para redução das mamas. Para saber mais, continue a leitura!

O que é a mamoplastia redutora?

A mamoplastia redutora consiste na remoção cirúrgica do excesso de volume, bem como na redefinição do contorno mamário. Para isso, pode-se combinar diferentes técnicas. A gordura, por exemplo, pode ser retirada com lipoaspiração. Já as demais técnicas dependem das particularidades anatômicas, assim como do desejo da paciente.

Para quem a cirurgia é indicada?

A mamoplastia redutora é uma boa opção para mulheres que se incomodam com o tamanho das mamas. Sabe-se que seios muito grandes podem:

  • limitar as opções de atividades físicas;
  • ser a causa das dores nas costas, ombros e/ou pescoço;
  • causar afundamento nos ombros, devido ao peso nas alças do sutiã;
  • irritar a pele abaixo dos sulcos das mamas;
  • deixar os seios flácidos e pendentes, com aréolas alargadas; entre outros fatores.

Para ser uma boa candidata ao procedimento, é preciso cumprir alguns critérios. São eles:

  • não fumar ou parar com antecedência;
  • estar bem de saúde;
  • ter expectativas realistas.

Como a capacidade de amamentar pode ser reduzida após a cirurgia, quem pretende ter filhos deve considerar esse risco. Além disso, as mudanças que a gravidez provoca no corpo podem alterar os resultados do procedimento.

No mais, a mamoplastia redutora pode ser realizada em qualquer idade. Porém, os resultados são melhores em pacientes cujos seios já estão totalmente desenvolvimentos.

Quais são os cuidados pré-operatórios?

Na fase pré-operatória, além das consultas, é preciso realizar alguns exames e passar pela avaliação do cardiologista. Nos dias que antecedem o procedimento, deve-se ajustar ou suspender alguns medicamentos de uso contínuo, para evitar sangramentos excessivos. Já no dia do procedimento, é preciso fazer jejum.

Nessa etapa é importante tirar todas as dúvidas, para se preparar da melhor maneira possível. Se necessário, peça ao médico algumas dicas para aliviar a ansiedade.

Como é feita a cirurgia de redução das mamas?

A mamoplastia redutora é feita com anestesia (local com sedação, peridural ou geral). As incisões determinam o formato das cicatrizes e podem ser:

  • circulares, em torno das aréolas;
  • em volta das aréolas e verticalmente para baixo, em forma de raquete;
  • no sulco mamário e verticalmente para cima, em forma de T invertido.

Em seguida, ocorre o reposicionamento dos mamilos e a redução das aréolas, bem como do tecido mamário — que também é levantado e modelado. Por fim, são feitas as suturas em camadas profundas, as quais sustentam os seios. Já para fechar a pele, pode-se recorrer a suturas, fitas cirúrgicas ou adesivos.

Quais são os potenciais riscos do procedimento?

Os principais riscos envolvidos na cirurgia plástica nas mamas têm a ver com a imperícia médica, falta de infraestrutura adequada e/ou de cuidados no pós-operatório. São eles:

  • cicatrização inestética;
  • infecção;
  • sangramentos (hematomas);
  • acúmulo de líquidos (seroma);
  • assimetrias;
  • rigidez excessiva;
  • contornos das mamas irregulares;
  • alterações na pigmentação da pele;
  • trombose venosa profunda; entre outros.

Além disso, ainda existem riscos que independem da atuação do profissional ou do comportamento da paciente. É o caso da alteração na sensibilidade dos mamilos ou das mamas. Mas nesse caso, os incômodos costumam ser temporários.

Como é a recuperação da mamoplastia redutora?

No pós-operatório da cirurgia plástica para reduzir as mamas, deve-se usar uma bandagem elástica ou um sutiã reforçado. Esses acessórios ajudam a minimizar o inchaço e sustentar os seios. Além disso, um dreno pode ser utilizado para dar vazão a acúmulos excessivos de sangue e/ou fluídos.

O que esperar do resultado do procedimento?

mudança promovida pela mamoplastia redutora é vista imediatamente. Porém, o resultado, até o inchaço desaparecer, demora cerca de um ano.

Em relação às cicatrizes, elas são permanentes. Porém, melhoram consideravelmente com o passar do tempo.

O novo tamanho dos seios pode trazer benefícios além da aparência. Afinal, após a mamoplastia redutora, a dor e as limitações físicas também não existirão mais. Juntas, as melhorias estéticas e funcionais refletem, diretamente, na autoestima da paciente!

Esperamos ter esclarecido suas dúvidas. Mas, caso queira saber se o procedimento atenderia suas necessidades, agende uma consulta e faça uma avaliação individualizada!