É muito comum que pacientes que tenham passado por uma grande perda de peso, seja ela pós bariátrica ou até mesmo sem intervenção cirúrgica, fiquem sem sustentação na pele. Isso acontece pois a pele e os tecidos perdem a elasticidade e não ficam em conformidade com o novo contorno corporal.

Os braços, virilha, nádegas e coxas ficam flácidos, as mamas podem ficar achatadas com os mamilos para baixo e perderem volume, e o abdômen pode ficar com dobras de pele.

Nesses casos, a intervenção cirúrgica de contorno corporal é a melhor forma para remover o excesso de gordura e flacidez da pele. Pode-se dizer que este é o processo final na jornada de perda de peso.

Quando fazer?

Antes de realizar a cirurgia de contorno corporal, é importante considerar dois fatores:

– A flacidez pode voltar se o paciente continuar a perder peso.

– Se o paciente recuperar o peso perdido, a pele vai esticar novamente podendo causar estrias e cicatrizes.

Por isso, estar com o peso estabilizado por pelo menos 2 meses é essencial para o sucesso futuro da cirurgia. No caso de cirurgias bariátricas, deve-se aguardar pelo menos 1 ano para realização das cirurgias reparadoras.

Como é feita a cirurgia

O médico é responsável por fazer o plano cirúrgico de cada paciente individualmente, mas, entre os procedimentos mais recomendados, estão a abdominoplastia, lifting da parte inferior do corpo, elevação da mama, lifting de braço e lifting de coxa. Todos eles servem para corrigir a flacidez do corpo.

Durante a recuperação da cirurgia de contorno corporal, é normal que o paciente utilize cinta compressiva ou sutiã cirúrgico. Sua função é minimizar o inchaço e sustentar as novas formas do corpo.

Apesar de resultados visíveis rapidamente, é importante que o paciente faça a manutenção, que está diretamente ligada a manter o peso estável e a boa forma. Adotar hábitos de alimentação saudável associados à prática de exercícios físicos, irá otimizar o resultado da cirurgia e prolongar sua durabilidade.