As aplicações mais conhecidas para a toxina botulínica, popularmente conhecida como botox, são aquelas que englobam a estética: suavizar linhas de expressão, eliminar rugas e pés de galinha. Porém, o que muita gente não sabe, é que este procedimento também serve para outras finalidades, tais como combater a enxaqueca e sudorese excessiva, minimizar a tensão muscular, entre outras.

Como ela funciona

A injeção da toxina botulínica enfraquece o músculo através do bloqueio dos sinais nervosos, evitando sua contração e, consequentemente, diminuindo as rugas faciais. Para que ela tenha o resultado desejado, é preciso escolher os músculos específicos com cuidado para que as expressões do rosto fiquem preservadas. O procedimento leva em torno de 15 minutos e não é necessário tempo de repouso ou de recuperação. Seu efeito dura, geralmente, de 3 a 6 meses.

Quando aplicar

O uso da toxina botulínica para tratamento estético em pacientes muito jovens não é recomendado, já que é não é comum o aparecimento de linhas de expressão residuais em pacientes na faixa etária dos 18 anos. Porém, as aplicações preventivas estão se popularizando cada vez mais, pois dessa maneira é possível evitar certas expressões faciais que contribuem para o surgimento das linhas de expressão.

Ao contrário do que muitos podem pensar, parar de usar a toxina botulínica não vai fazer com que as rugas piorem. O que vai acontecer é que as linhas de expressão apenas voltarão normalmente para o estado posterior ao da aplicação.

É importante frisar que a toxina botulínica não vai resolver todos os tipos de problemas de pele. Ela não repara, por exemplo, os danos causados pelo sol. Sua aplicação pode ser combinada com outros tipos de procedimentos estéticos, como peeling químico, preenchimento dérmico ou microdermoabrasão.

Antes de realizar qualquer tipo de tratamento, converse com seu dermatologista ou cirurgião plástico para saber qual é o mais indicado para você.