O câncer de pele é provocado pelo crescimento anormal e descontrolado de células. Este tipo de doença corresponde a mais de 30% dos diagnósticos de câncer no Brasil. Os tipos mais comuns são o carcinoma basocelular, carcinoma espinocelular e, o mais grave, o melanoma.

Tipos de câncer de pele

– Carcinoma basocelular: aparece nas células basais, a camada mais profunda da epiderme. Ele tem baixa letalidade e altas chances de cura se for detectado precocemente. Surge com mais frequência em áreas expostas pelo sol, como rosto, orelhas, pescoço, ombros e costas, mas isso não significa que ele possa aparecer em outras regiões do corpo.

– Carcinoma espinocelular: se manifesta nas células escamosas, que estão nas camadas superiores da pele. Assim como o carcinoma basocelular e como a maioria dos outros tipos de câncer de pele, ele também se desenvolve com mais frequência em lugares mais expostos ao sol.

– Melanoma: Apesar de ser menos frequente, é o tipo de câncer de pele com o maior índice de mortalidade entre os pacientes. Se for diagnosticado precocemente, tem altas chances de cura. Em geral, possui a aparência de uma pinta ou sinal e pode mudar de cor, formato ou tamanho.

Vale lembrar que pessoas que possuem a pele mais clara têm mais predisposição a desenvolver melanoma. Além disso, a hereditariedade também possui um grande papel para o surgimento do melanoma. Para pacientes que já têm casos na família, recomenda-se fazer exames preventivos.

Como reconhecer os sintomas

Em geral, o câncer de pele se manifesta na forma de pintas, eczemas ou lesões que demoram a cicatrizar. É importante que o paciente conheça seu próprio corpo e saiba identificar ao perceber alguma diferença. Nesse caso, deve-se procurar um dermatologista para que seja feito o diagnóstico correto.