lipoaspiração é um procedimento que gera muito interesse, mas também muitas dúvidas. Por exemplo: tem gente que acha que esse tipo de cirurgia não é indicado para quem é magro, outros pensam que ela serve para emagrecer. Ambas ideias, no entanto, são errôneas.

Neste artigo, Dr. Maria Júlia Norton, cirurgiã plástica da Clínica Lis, no Rio de Janeiro, RJ, esclarece os principais mitos ligados à técnica. Continue a leitura saiba o que é, ou não, verdade em relação à lipoaspiração.

A lipoaspiração não é indicada para pessoas magras

Mito. A lipoaspiração busca retirar gorduras localizadas e redefinir o contorno corporal. Ela deve ser feita, preferencialmente, em pessoas saudáveis e que estão dentro do seu peso ideal, ou seja, consideradas magras.

Na prática, trata-se de uma cirurgia que serve para eliminar focos de gordura localizada que, por melhor que seja o estilo de vida do paciente, insistem em permanecer. Esses depósitos, geralmente, têm um importante componente genético, sendo difíceis de eliminar sem o procedimento.

A lipoaspiração ajuda no emagrecimento

Mito. A lipoaspiração não é um tratamento para emagrecer. Para eliminar o sobrepeso é preciso se consultar com diversos especialistas e adotar uma série de melhorias na rotina, tais como:

  • alimentação balanceada;
  • prática regular de atividades físicas;
  • tratamento de distúrbios associados ao ganho de peso.

Em certos casos, no entanto, a lipoaspiração pode ser adotada como parte da estratégia de emagrecimento. Estudos preliminares mostram que, além de melhorar o aspecto corporal, a remoção das gorduras pode diminuir o risco cardiovascular, ajudar no controle da pressão arterial e reduzir os níveis de insulina em jejum.

A lipoaspiração só é realizada no abdômen

Mito. A lipoaspiração pode ser realizada em diversas partes do corpo. Além da barriga, ela pode ser usada para retirar a gordura localizada dos flancos, costas, culotes, coxas, joelhos, braços, peitoral e papada.

Existem diferentes tipos de lipoaspiração

Verdade. Cada técnica de lipoaspiração atende a uma necessidade e/ou desejo específico. Além da lipo tradicional, existe:

  • lipoescultura, quando a gordura extraída de uma região é aplicada em outra, para melhorar seu volume (como na lipoaspiração dos flancos com lipoenxertia nos glúteos);
  • lipoaspiração de alta definição, indicada para quem deseja evidenciar os músculos na área aspirada;
  • hidrolipo (também chamada mini lipo), realizada em quem tem pequenas quantidades de gorduras localizadas;
  • lipoabdominoplastia, indicada para quem precisa remover a gordura localizada, mas também o excesso de pele da região — técnica muito usada em procedimentos de mommy makeover.

O número de mortes por lipoaspiração é alto

Mito. Dados da Food and Drugs Administration (FDA), órgão similar à vigilância sanitária dos Estados Unidos, mostram que o número de óbitos em decorrência da lipoaspiração é baixo — em média, de 3 em cada 100 mil pacientes. Esse percentual, vale destacar, é equivalente aos dos demais tipos de cirurgias.

Toda cirurgia tem riscos — e com a lipo não é diferente

Verdade. Para a maior segurança cirúrgicaa escolha do médico deve ser feita com muito critério. Ele precisa:

  • ter especialização em cirurgia plástica;
  • registro no Conselho Regional de Medicina (CRM);
  • ser membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).

Além disso, procure avaliações dos pacientes sobre a clínica e o cirurgião. Hoje em dia, elas são facilmente encontradas no Google e nas redes sociais.

E não esqueça de checar, também, a infraestrutura dos hospitais credenciados (onde são realizados os procedimentos). Centros cirúrgicos completos são indispensáveis, pois, em caso de intercorrências, pode-se receber toda a assistência necessária.

Se o paciente engordar, o resultado da lipo é comprometido

Verdade. Por isso é tão importante que o procedimento seja realizado em pessoas que têm um peso saudável e “sustentável”. Fazer a lipo em uma pessoa que chegou ao seu IMC normal depois de se submeter à uma dieta altamente restritiva, sem ter adquirido consciência da importância das escolhas saudáveis, é muito arriscado.

Assim, quem tem vontade de fazer uma lipoaspiração precisa conversar com seu médico com toda sinceridade. Muitas vezes, é mais vantajoso adiar o procedimento para um momento em que o paciente esteja, realmente, preparado (com bons hábitos internalizados), do que correr o risco de comprometer o resultado. Dessa maneira, a cirurgia se torna o ‘gran finale’ de um longo processo de melhorias no estilo de vida.

Gostou do artigo? Para acompanhar as próximas publicações e ficar por dentro de todas as novidades da Clínica Lis, siga a gente no Facebook e Instagram!