A harmonização facial é um dos procedimentos estéticos mais procurados na atualidade. Trata-se de um conjunto de intervenções realizadas com objetivo de melhorar as proporções da face e, se preciso, minimizar os sinais do envelhecimento.

Neste artigo, mostramos como a harmonização facial funciona, bem como quais são suas principais indicações e possíveis riscos. Confira!

O que é a harmonização facial?

Eduardo Costa, Gretchen, Wesley Safadão, Joelma, Lucas Lucco e Bianca Andrade (Boca Rosa) são alguns dos muitos famosos que revelaram ter feito o procedimento. Mas, apesar do modismo fazê-la parecer banal, a harmonização facial é um tratamento médico complexo. Sua execução exige um alto nível de conhecimento anatômico por parte do especialista.

Na lista de procedimentos que podem fazer parte de uma harmonização facial constam opções cirúrgicas e não cirúrgicas (minimamente invasivas). De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), as aplicações de toxina botulínica (botox) e ácido hialurônico (preenchimento) são as técnicas mais empregadas. Além delas, os processos de harmonização podem incluir:

A escolha das técnicas empregadas depende da análise do médico responsável, variando de paciente para paciente. É essa individualidade, e não a padronização, que valoriza as características de cada pessoa e garante o sucesso do procedimento.

Quais são suas principais indicações?

A harmonização facial é indicada para pessoas que não estão satisfeitas com a própria aparência, por conta de assimetrias ou outros problemas. Ela pode ser usada para aliviar sinais do envelhecimento, como as rugas e pés de galinha, mas também para reestruturar a face e melhorar o aspecto de olheiras, corrigir imperfeições no nariz, pálpebras e orelhas, aumentar os lábios, deixar o tamanho da testa e do queixo mais proporcionais, definir a mandíbula, eliminar a papada, entre outras possibilidades.

Quais são os riscos associados?

Segundo a SBCP, os procedimentos que fazem parte da harmonização facial são atos médicos. Portanto, de acordo com a Lei 12842/13 (mais conhecida como Lei do Ato Médico) devem ser realizados somente por médicos especialistas e habilitados, como os cirurgiões plásticos e, para alguns procedimentos (botox e preenchimento), os dermatologistas.

Nesse tipo de intervenção, eventuais complicações podem trazer graves consequências para o paciente, muitas vezes, irreparáveis — de necrose de tecidos e deformações a embolia, infecção e óbito. Por isso, é importante reforçar que apenas um médico especialista está capacitado para lidar com possíveis intercorrências, oferecendo a segurança necessária ao paciente.

Existem, ainda, os riscos relacionados aos excessos. A harmonização facial deve, sempre, buscar um resultado natural, valorizando o que o paciente tem de melhor e corrigindo desvios estéticos.

No entanto, na internet é fácil encontrar médicos não especialistas e profissionais não médicos oferecendo a harmonização facial. No entanto, o número de seguidores em redes sociais não é atestado de competência.

Onde realizar uma harmonização facial no Rio de Janeiro?

Contar com a assistência de um médico qualificado é essencial tanto para preservar sua saúde como para o sucesso da harmonização. Cabe a quem deseja realizar esse tipo de intervenção desconfiar de promessas milagrosas e procurar uma clínica de cirurgia plástica considerada referência na área. Para acertar na escolha, observe os seguintes pontos:

  • verifique a capacitação e afiliação do médico, observando se o mesmo é formado em medicina, com especialização em cirurgia plástica ou dermatologia, e associado à SBCP ou SBD;

  • analise a estrutura física (conservação, limpeza e conforto), a qualidade dos equipamentos e dos materiais utilizados, bem como a localização (facilidade de acesso);

  • pesquise avaliações de pacientes já atendidos, se não conhece alguém que possa te indicar (ou contraindicar) uma clínica, busque por avaliações postadas no Google e nas redes sociais, para ter ideia da qualidade dos serviços e dos suportes oferecidos, principalmente, nos pós-procedimentos.

Seguindo esses cuidados, a harmonização facial tem tudo para ser uma experiência tranquila e satisfatória. Se você, como tantas pessoas, tem vontade de fazer o procedimento, procure um especialista. Conte o que lhe incomoda, fale sobre suas expectativas e veja quais são as soluções possíveis. O importante, como já mencionado, é chegar a um resultado esteticamente equilibrado, valorizando seu rosto sem colocar sua saúde em risco.

Gostou do artigo? Aproveite para seguir a Clínica Lis no Facebook, Instagram e Youtube e fique por dentro de todas as novidades em procedimentos estéticos!