Algumas pacientes desejam levantar os seios. Outras têm vontade apenas de aumentá-los. Existem, ainda, as que querem levantar, aumentar e rejuvenescê-los. Para todos esses casos, há duas opções: mastopexia e mamoplastia de aumento.

Neste artigo, mostramos as principais diferenças entre os procedimentos. Se você tem vontade de fazer uma cirurgia plástica nos seios, aproveite para tirar suas dúvidas.

Mastopexia: como é feita e para quem é indicada?

A mastopexia, também conhecida como lifting de mama, é indicada, principalmente, para quem apresenta seios flácidos. Ela é bastante procurada por mulheres que ficaram com as mamas caídas depois da gravidez ou em decorrência de uma perda de peso muito grande. Há, também, aquelas que não passaram por nada parecido, cuja flacidez tem origem genética ou é consequência natural do envelhecimento.

Na mastopexia, o excesso de pele é removido e o tecido mamário é comprimido e erguido. Assim, as mamas ficam com um novo contorno e na posição certa, da forma mais simétrica possível.

Além disso, as aréolas também são reposicionadas e, se estiverem alargadas, podem ser reduzidas. Assim, a aparência das mamas se torna mais jovem.

Mas, e o colo? Bom, se além de levantar e melhorar a sustentação das mamas, houver o desejo de aumentar o volume e a projeção, realiza-se uma mastopexia com prótese. Para quem deseja preencher o colo, trata-se da solução mais eficiente.

Em relação aos tipos de incisões, elas podem ser feitas apenas ao redor das aréolas ou ao redor das aréolas e verticalmente para baixo. A técnica adotada varia em função:

  • da forma e tamanho das mamas;

  • do grau de flacidez;

  • da quantidade de pele em excesso;

  • do tamanho e posição das aréolas;

  • da opção pela colocação, ou não, das próteses.

Já quando se trata de uma mastopexia com prótese, para colocá-la é preciso fazer mais uma incisão. Na maioria das vezes, ela é feita horizontalmente, ao longo do sulco da mama.

Mamoplastia de aumento: como é feita e para quem é indicada?

A mamoplastia de aumento, também chamada de cirurgia de prótese de mama, é indicada para quem deseja restaurar ou dar volume aos seios. Ela também ajuda a melhorar outras insatisfações, como assimetrias, diferenças de forma e tamanho e até um princípio de flacidez.

Nesse tipo de procedimento, realiza-se apenas a incisão para colocação da prótese. A escolha do local varia conforme as características de cada paciente e preferência do cirurgião, podendo ser inframamária (logo abaixo dos seios), areolar (ao redor das aréolas) ou transaxilar (nas axilas).

Para escolher a prótese mais indicada, considera-se o tipo físico da paciente e seu desejo. Ela pode ser:

  • cônica, para quem quer dar aos seios um visual mais empinado, sendo indicada para quem tem o tórax estreito e deseja aumentar o volume do colo;

  • redonda, para quem quer aumentar o volume e preencher, igualmente, todos os espaços da mama — trata-se do formato mais usado em mamoplastias de aumento;

  • anatômica ou gota, para quem deseja aumentar o tamanho dos seios, mas sem abrir mão da aparência natural — sendo muito utilizada em pacientes com mamas tuberosas e em casos de reconstrução mamária.

Já em relação à escolha da técnica de implante, as características da pele da paciente, principalmente, em relação à firmeza e à espessura, são determinantes. Assim, a colocação das próteses pode ser:

  • submuscular (abaixo do músculo peitoral), técnica mais indicada para quem tem a pele muito fina e pouca mama;

  • subglandular (por cima do músculo peitoral, atrás apenas das glândulas mamárias), técnica indicada para quem a pele com boa consistência e, pelo menos, um pouco de mama;

  • subfascial (por cima do músculo peitoral, mas abaixo da fáscia — a membrana que o reveste), técnica escolhida quando se deseja minimizar as chances de rippling (ondulações), principalmente em mulheres magras.

Mastopexia e mamoplastia: qual é a mais indicada para mim?

Somente um cirurgião plástico pode indicar o procedimento mais indicado para cada paciente. Para isso, o especialista considera não apenas as queixas, mas também as características anatômicas e a qualidade da pele. Portanto, contar com um profissional experiente e bem capacitado é fundamental para um resultado satisfatório.

Agora que você sabe as diferenças entre mastopexia e mamoplastia de aumento, reflita sobre o que lhe incomoda na aparência dos seios e o que espera da cirurgia. Essa será uma das primeiras perguntas feitas pelo cirurgião. Quando ambos (médico e paciente) estiverem de acordo em relação aos alcances do procedimento, a cirurgia será, enfim, agendada.

Gostou do conteúdo? Caso tenha ficado com alguma dúvida, entre em contato e converse com nossos especialistas!