Melasma são manchas acastanhadas, superficiais e de formatos irregulares que, apesar de não provocarem sintomas nem trazerem riscos à saúde, comprometem o visual e abalam a autoestima. O problema é mais comum nas mulheres, mas também pode aparecer em homens. Ele costuma surgir no rosto, principalmente, no lábio superior (buço), nariz, bochechas e testa, assim como no pescoço, colo e braços, em decorrência de uma disfunção nas células produtoras de melanina, as quais passam a produzir mais pigmentos, criando áreas mais escuras.

Neste artigo, mostramos os tratamentos dermatológicos mais eficientes para melhorar a aparência e controlar o aparecimento dessas manchas. Confira e tire suas dúvidas!

Quais são as causas do melasma?

O melasma é uma condição crônica, ou seja, que sempre pode voltar. Sabe-se que seu aparecimento tem relação direta com a luz solar, mesmo que a pessoa se exponha apenas à claridade (a chamada luz visível).

Porém, desequilíbrios hormonais, decorrentes do uso de pílulas anticoncepcionais e da gravidez, por exemplo, também podem provocar as manchas. Além disso, a predisposição genética também tem sua parcela de influência.

A aparência do melasma varia, em coloração, intensidade e tempo de existência, de pessoa para pessoa. Esses critérios, somados à sua possível causa, são levados em conta pelo dermatologista na hora de definir o tratamento mais adequado para cada paciente.

Quais são os tratamentos para o melasma?

Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), o melasma, apesar de não ser prejudicial à saúde, deve ser tratado. A boa notícia é que existem diversos tratamentos para aliviar as manchas e restaurar a beleza e uniformidade da pele.

A correta indicação e execução, vale destacar, evita a piora do quadro — por isso, nunca tente resolver o problema por conta própria ou com um profissional sem a capacitação adequada: busque as recomendações de um(a) médico(a) dermatologista.

Dito isso, conheça os principais tratamentos para essa condição:

  • clareadores tópicos, geralmente, cremes feitos à base de ácido retinóico, glicólico ou azeláico, além de hidroquinona, entre outros, indicados para manchas claras e recentes;
  • peelings físico ou químico, os quais promovem a descamação das camadas superficiais da pele, onde fica o melasma, e a clareiam de forma gradual, enquanto promovem uma renovação celular;
  • microagulhamento, o qual provoca microperfurações na pele (feitas com rollers), sendo indicado para tratar o melasma, mas também para melhorar a produção de colágeno na região;
  • luz intensa pulsada (LIP ou apenas luz pulsada), que além de clarear o melasma, melhora o aspecto de outras marcas (como manchas de acne, microvasinhos e até cicatrizes), além de restabelecer o viço e uniformizar a textura da pele;
  • laser CO2 fracionado, indicado para remover melasmas, assim como cicatrizes de acne, em peles fotoenvelhecidas — por ser um tratamento moderadamente invasivo;
  • laser Q-Switched, atualmente o laser mais seguro para o  tratamento do melasma promove a destruição da melanina acumulada em excesso, além de melhorar a textura da pele, deixando-a mais regular.

Como prolongar o efeito do tratamento?

Independentemente do tratamento adotado, deve-se mantê-lo até que a aparência da pele esteja estabilizada. Depois, é preciso evitar o retorno das manchas. Para isso, nada melhor do que:

  • evitar se expor ao sol das 10h às 14 horas;
  • usar barreiras físicas, principalmente, chapéus e camisetas com fator de proteção UV;
  • aplicar filtro solar todos os dias, mesmo quando estiver nublado ou chovendo.

Na hora de escolher, lembre-se: quanto mais clara for a pele, maior deve ser o fator de proteção UVA/UVB. Verifique, também, se o produto tem proteção contra a luz visível. A fotoproteção é um complemento imprescindível ao tratamento contra o melasma, devendo ser mantida continuamente.

Onde tratar o melasma no Rio de Janeiro?

Para um tratamento ser eficiente, ele precisa ser bem indicado e corretamente executado. Por isso, escolher uma clínica de referência em cuidados dermatológicos, que tenha um corpo clínico especializado e os mais modernos equipamentos, é imprescindível para um bom resultado.

No Rio de Janeiro, a Clínica Lis reúne diversas opções de tratamentos para o melasma. A escolha do procedimento mais indicado para cada paciente é feita pelo nosso time de dermatologistas, após uma criteriosa avaliação individual. Assim, é possível se livrar das incômodas manchas sem arriscar sua pele — literalmente!

Caso haja alguma dúvida sobre os tratamentos apresentados neste artigo ou se quiser agendar uma consulta para uma avaliação individual, entre em contato conosco. Nossos experts estão à disposição!