Os seios caídos são temidos por muitas mulheres, principalmente por aquelas que estão chegando aos 40 anos. É por volta dessa idade que as mamas começam a perder sustentação e acabam ficando mais flácidas. Mas engana-se quem acredita que essa é uma situação inevitável. Com os cuidados certos, sob a orientação de bons especialistas, é possível prevenir o problema e ter seios bem projetados.

A boa notícia é que nunca é tarde para começar a se cuidar. Confira as nossas dicas e se previna a partir de hoje!

Por que estou com os seios caídos?

Os seios projetados, bem sustentados e posicionados são considerados sinônimos de beleza e feminilidade no corpo da mulher. Por outro lado, seios caídos podem acabar comprometendo o bem-estar, a autoestima e a qualidade de vida das pacientes que apresentam maior flacidez na região das mamas.

Diversos fatores contribuem para aumentar a flacidez das mamas. A seguir, conheça melhor os principais motivos.

Hereditariedade

Se sua mãe ou alguma familiar próxima possui seios flácidos e caídos é provável que, em algum momento da vida, você também apresente essa condição. A herança genética é um fator que pesa muito, fazendo com que muitas mulheres consigam ter seios bem projetados e posicionados até a terceira idade, mas outras tantas sofram com a queda dos seios ainda na juventude, por uma questão de hereditariedade.

Idade avançada

O avanço da idade promove maior flacidez em todos os tecidos do corpo, o que também inclui a pele das mamas. Com o passar do tempo, a ação da gravidade tende a agir com mais intensidade no nosso corpo, puxando os seios para baixo e deixando-os com o aspecto de caídos.

Gravidez

Durante a gravidez, as mamas aumentam de tamanho rapidamente e se tornam mais pesadas. Isso faz com que percam a firmeza e fiquem mais propensas a caírem, por conta do aumento do peso na região.

Além disso, a própria amamentação do bebê também pode contribuir para que os seios fiquem mais caídos. Ainda que tudo isso valha a pena, em muitos casos, as mamas não retornam à sua aparência normal, mesmo depois de anos após a gravidez.

Variações de peso

As variações de peso frequentes, seja pelo emagrecimento ou ganho de gordura, podem prejudicar a elasticidade da pele ao longo do tempo. O resultado são mamas mais flácidas e caídas.

Além disso, a perda excessiva de peso, decorrente da cirurgia bariátrica ou mesmo sem intervenção cirúrgica, também leva à queda dos seios. Geralmente, eles ficam achatados e com os mamilos para baixo.

Hábitos prejudiciais à saúde

Ter uma alimentação rica em gordura e açúcar, assim como o consumo de bebidas alcoólicas, o tabagismo, à exposição exagerada e desprotegida ao sol e o estresse (tanto físico como emocional) são hábitos que reduzem a quantidade de colágeno e provocam queda na produção de elastina. Assim, aceleram o processo de flacidez das mamas.

Por isso, quanto mais hábitos prejudiciais à saúde você praticar, maiores e mais rápidas serão as chances de apresentar seios caídos. Por outro lado, quem tem um estilo de vida saudável e se cuida desde cedo tem boas chances de evitar ou, no mínimo, adiar o problema.

Quais são os cuidados para prevenir a queda dos seios?

Os cuidados para evitar seios caídos devem começar o quanto antes. O ideal é começar a prevenção ainda na adolescência e seguir com os cuidados até a terceira idade.

Para ajudar, listamos cinco dicas que vão ajudar a deixar seus seios bem projetados durante toda a vida. Comece a praticá-los o mais breve possível e desfrute dos benefícios!

1. Faça musculação (e treine peito)

A prática regular de exercícios que fortalecem a musculatura da região (o famoso treino de peito) ajuda a promover uma sustentação natural para os seios. Além disso, a musculação reduz a quantidade de gordura ao redor das mamas.

2. Use hidratantes com efeito firmador

Os hidratantes corporais com o chamado efeito firmador ajudam a deixar a pele mais resistente, melhorando a flacidez e a falta de sustentação dos seios. O ideal é usá-los diariamente e sempre após o banho, que por sua vez, não deve ser muito quente, já que a água quente pode desidratar a pele e acelerar a flacidez.

3. Consuma proteínas magras e antioxidantes

Evitar a queda dos seios também depende de uma dieta com os alimentos certos. É o caso daqueles que são ricos em proteínas de alto valor biológico, como as carnes magras e os ovos, e antioxidantes, como o chá verde e as frutas vermelhas. As proteínas e antioxidantes ajudam a reduzir os danos na pele e nos músculos, contribuindo para a sustentação dos seios.

4. Invista em suplementos

colágeno é uma proteína essencial para dar sustentação à pele do nosso corpo. Acontece que, a partir dos 35 anos de idade, sua produção natural cai 1% ao ano.

Com o tempo, isso prejudica a firmeza da pele das mamas, assim como de todo o corpo.

Já os fitoestrogênios, como isoflavonas de soja, são especialmente indicados para cuidar da pele de mulheres na menopausa. Esses suplementos ajudam a minimizar o impacto das mudanças hormonais sobre a pele.

Mas é importante ressaltar que a suplementação não deve ser feita por conta própria e os resultados ainda são controversos. Ou seja, antes de começar, converse a respeito com seu dermatologista.

5. Use sutiãs adequados para seu corpo

O uso inadequado do sutiã pode piorar a aparência dos seios flácidos. Portanto, busque peças que se adaptem corretamente ao seu corpo e ofereçam a sustentação necessária para seus seios.

Existe cirurgia para seios caídos?

Os cuidados mencionados podem te ajudar a prevenir os seios caídos, mas não são capazes de levantá-los naturalmente. Se você já apresenta flacidez acentuada nas mamas, com formato alongado e mamilos e aréolas apontando para baixo, o mais recomendado é buscar um tratamento cirúrgico para devolver a projeção e a sustentação aos seios.

Nesse caso, o procedimento mais recomendado é a mastopexia, também conhecida como lifting de seios ou lifting de mamas. Trata-se de uma cirurgia plástica realizada com o objetivo de reposicionar a aréola e o tecido mamário, além de remover o excesso de pele e comprimir o tecido, para dar um novo formato aos seios.

A técnica permite levantar os seios até sua posição original, buscando simetria e harmonia. Além disso, caso as aréolas tenham se tornado demasiadamente alargadas, pode-se reduzi-las, deixando-as proporcionais ao novo formato.

Em alguns casos, a mastopexia também pode ser associada ao implante de silicone. Essa combinação de técnicas é indicada caso a paciente deseje aumentar o tamanho dos seios, além de deixá-los mais levantados e sustentados.

Mas atenção: ainda que o lifting de mamas não interfira na amamentação, caso ainda não tenha tido filhos é mais indicado esperar para realizar o procedimento. Isso porque, o resultado da cirurgia pode acabar comprometido.

Já em relação ao envelhecimento, com o tempo a gravidade voltará a agir sobre seus seios. Mas segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), eles permanecerão firmes por mais tempo se você mantiver o peso estável e adotar um estilo de vida saudável.

Como saber qual é a melhor solução para o meu caso?

Muitas mulheres não sabem se as mamas estão realmente caídas, a ponto de precisarem de uma cirurgia plástica. Mas se o aspecto dos seus seios a incomoda e afeta sua autoestima, busque a avaliação de um especialista sobre o que pode ser feito para melhorá-los.

Somente um profissional pode afirmar quando o caso de seios caídos exige reparação cirúrgica. Na avaliação médica, considera-se se a queda das mamas vai além do sulco mamário, se há perda de volume na parte de cima (colo), se existe deslocamento para baixo da aréola, entre outros fatores. Portanto, cada caso deve ser estudado de maneira individualizada pelo cirurgião plástico.

Esperamos que o conteúdo tenha sido útil. Para acompanhar mais dicas como essas, siga a Clínica Lis no Facebook e Instagram!

E caso tenha ficado com alguma dúvida, conte com a gente. Entre em contato agora mesmo e converse com um de nossos especialistas!