Você tem dúvidas sobre o Sculptra — um dos possíveis tratamentos para o rejuvenescimento da pele? Então, esse artigo é para você! Listamos os principais questionamentos sobre o procedimento que, apesar de ser usado para fins cosméticos desde 1999 (na Europa), ainda não é muito conhecido do público geral.

Continue a leitura e saiba tudo sobre esse poderoso aliado contra a flacidez. Veja, também, que especialista pode realizá-lo.

O que é o Sculptra?

O Sculptra é um procedimento estético minimamente invasivo, indicado para rejuvenescer aparência. Trata-se de uma substância (ácido poli-L-lático) aplicada na pele para estimular a produção de colágeno e, com isso, melhorar a firmeza e a textura no local.

Quando realizado no rosto, o procedimento restaura os volumes perdidos com o envelhecimento ou emagrecimento excessivo, redefine o contorno, melhora o tônus e previne e suaviza as linhas de expressão e rugas. Já no corpo, trata a flacidez e melhora a celulite.

Quais são as principais dúvidas sobre o Sculptra?

As dúvidas sobre o Sculptra, geralmente, têm relação com as indicações do procedimento, como é realizado, quais são os riscos e quanto tempo duram os resultados. Confira!

O Scuptra serve para tratar todo tipo de ruga?

Não. O Sculptra é indicado para o tratamento de rugas estáticas, as quais surgem em decorrência da perda de elastina e colágeno, ao longo do processo de envelhecimento. Para as rugas dinâmicas, aquelas que surgem a partir das expressões faciais, as aplicações de toxina botulínica (botox) são suficientes.

O Sculptra é indicado somente para pessoas mais velhas?

Não necessariamente. Mais do que a idade, é a qualidade da pele do paciente que determina, ou não, a indicação do Sculptra.

Assim, ele é indicado para homens e mulheres que desejem retardar os sinais do envelhecimento, além de amenizar linhas de expressão, rugas e perdas de volume já existentes. Esses sinais começam a surgir na faixa dos 20 anos, quando a renovação celular se torna mais lenta, e se intensificam a partir dos 35.

O Sculptra só pode ser realizado no rosto?

Mito! Além do rosto, o Sculptra pode ser feito com o objetivo de tratar a flacidez no pescoço, colo, axilas, braços, mãos, barriga, coxas e glúteos. Aliás, ele também melhora a celulite.

O procedimento dói?

O Sculptra é um procedimento rápido, feito na própria clínica, por meio de injeções com agulhas muito finas. A cada sessão, utiliza-se, em média, 1 frasco de ácido poli-L-lático.

A maioria das pessoas não reclama de dor. No entanto, para aliviar o desconforto, pode-se usar um anestésico tópico (pomada).

É preciso fazer alguma mudança na rotina após o procedimento?

As atividades diárias podem ser mantidas normalmente. Porém, recomenda-se massagear a área das aplicações, para evitar a formação de granulomas (pequenos nódulos). Já para aliviar os hematomas, basta colocar compressas geladas e usar pomadas indicadas pelo(a) seu médico(a).

Posso ter uma reação alérgica ao ácido poli-L-lático?

O ácido poli-L-lático é uma substância biocompatível.Com o passar do tempo, ele é totalmente absorvido pelo organismo e não traz nenhum risco à saúde do paciente.

O efeito do Sculptra é imediato?

Não. Os efeitos ficam mais consistentes a partir da segunda sessão. Isso porque, é preciso tempo para que o corpo passe a produzir mais colágeno — o grande responsável pelos benefícios do tratamento.

São necessárias muitas sessões para chegar ao resultado?

Mito! A quantidade de sessões necessárias varia de paciente para paciente, mas, na maioria dos casos, indicam-se de duas a três sessões no máximo, com intervalos de quatro a oito semanas entre elas. O mais bacana é que, como o ácido poli-L-lático segue as formas e contornos do corpo do paciente, os resultados são harmônicos e naturais.

Sua duração é permanente?

Não. O resultado do Sculptra dura, em média, de um a dois anos. Essa variabilidade decorre das condições individuais de cada pele, bem como dos autocuidados no dia a dia. Uso diário de protetor solar, uma boa hidratação e uma alimentação saudável ajudam a prolongar seu efeito.

A boa notícia é que não é preciso esperar o efeito acabar para refazer o procedimento. Pode-se realizar uma manutenção anual, de modo a obter uma melhora progressiva e duradoura.

O Sculptra substitui o lifting facial?

Mito! Os procedimentos estéticos não substituem as cirurgias plásticas (como o lifting facial), cujos resultados são permanentes.

Como saber se o procedimento é indicado para mim?

O Scuptra deve ser recomendado por um médico (dermatologista ou cirurgião plástico) especialista em tratamentos estéticos. Somente por meio de uma avaliação individualizada, com análise do histórico clínico e das condições de saúde atuais, é possível saber se o procedimento é, ou não, indicado para o seu caso.

No que diz respeito às contraindicações, o procedimento não pode ser feito em:

  • grávidas (por falta de estudos);
  • pessoas com doenças autoimunes ativas;
  • quem possui hipersensibilidade a algum de seus componentes;
  • pessoas com preenchedores definitivos no mesmo local;
  • indivíduos com histórico de queloides ou cicatrizes hipertróficas
  • áreas com inflamações ou infecções cutâneas.

Esperamos que suas dúvidas sobre o Sculptra tenham sido esclarecidas! Como mostrado, trata-se de uma técnica segura, rápida e muito eficiente. Mas para o tratamento ser bem-sucedido, é imprescindível realizá-lo em um centro de referência!

Caso deseje saber mais sobre o procedimento, bem como descobrir onde realizá-lo no Rio de Janeiro, veja as informações no nosso site. E aperte o play para conferir a explicação da Dra. Ana Borba, nossa cirurgiã plástica sobre o Sculptra!