Você já realizou o seu sonho de aumentar o tamanho dos seios, mas agora se pergunta quando é a hora de fazer a troca de silicone? Lembra da época em que falavam que a substituição deveria ser após 10 anos? Isso não existe mais!

Com a evolução dos implantes, nem sempre é preciso retornar ao centro cirúrgico. Contudo, é importante realizar alguns check-ups para ver se está tudo em ordem com as próteses. Além disso, podem ocorrer determinados problemas que tornam necessário um novo procedimento.

Portanto, para solucionar as suas dúvidas, criamos este guia. Acompanhe os detalhes na leitura.

Os prazos de validade e a troca do silicone

Como mencionamos, não precisa mais ficar presa na “regra dos 10 anos”. Esse já não é mais um marcador definitivo da necessidade de uma nova mamoplastia de aumento.

Realize alguns exames de check-up

Você costuma fazer exames para verificar como está a sua saúde? Também é importante checar a qualidade dos implantes de tempos em tempos.

Os cirurgiões plásticos e outros especialistas costumam orientar a fazer a ressonância magnética, que oferece boas imagens das próteses e das condições em que se encontram. 

Quando é preciso fazer a troca do silicone?

Claro que existem situações em que será necessário fazer a troca de silicone. Elas envolvem reações do organismo à presença do implante e outros acidentes. Vamos te explicar cada uma delas. Confira:

Contratura capsular

Essa é a condição em que o organismo considera o silicone como um corpo estranho e age para combatê-lo. Assim, forma-se uma película que envolve a prótese, deixando-a endurecida.

Algumas pacientes também podem ter dores e ver o formato de seus seios mudarem.

Esses sinais podem surgir tanto no pós-operatório quanto depois de anos da cirurgia. Então, para sanar o problema, é preciso fazer a troca do silicone.

Ruptura da prótese requer troca de silicone

Esse é um grande medo das mulheres, mas ele é raro. Outro fato que tranquiliza é que, com as novas próteses, não há o derramamento do silicone no corpo, como poderia acontecer antigamente.

Nos dias de hoje, o que pode gerar a ruptura são traumas grandes nos seios, como acidentes de carro. Dessa forma, surge um rasgo no implante que, se não trocado, há o risco de inflamações.

Mudanças bruscas no corpo

Quando a paciente passa por mudanças grandes no corpo, como engordar, emagrecer ou engravidar, essas alterações de peso costumam gerar flacidez. Portanto, pode ser feita a mastopexia com prótese, ou seja, é retirado o excesso de pele e depois, faz a inserção de novas próteses.

Troque quando você desejar

Às vezes, você colocou próteses de um tamanho que, agora, não te agradam muito. Talvez, queira aumentar mais os seios ou diminuir. Nesses casos, você pode realizar a troca de silicone.

O que acontece se não fizer a troca de silicone?

Caso você esteja em uma situação que exige a troca das próteses, não se submeter ao procedimento pode gerar alguns riscos à saúde.

Já comentamos sobre a possibilidade de inflamações em rupturas e as dores geradas pela contratura. Também é possível ter infecções e, nas condições graves, micro vazamentos de silicone.

Como é a segunda cirurgia?

A cirurgia de troca de silicone é similar à primeira, quando não é feito o tratamento para a flacidez.

Também são necessários os exames pré-operatórios e os cuidados após o procedimento, como uso do sutiã cirúrgico e dormir de barriga para cima por algumas semanas.

Procure o seu cirurgião para saber mais sobre a troca de silicone

Como você viu, algumas mulheres precisarão fazer a troca de silicone e outras não. Portanto, o ideal é conversar com o seu cirurgião plástico sobre esse assunto. Assim, você saberá o que é melhor para você.

Gostou de aprender sobre isso e desmistificar algumas histórias que contam a respeito da mamoplastia? Além do blog, nós também sempre publicamos assuntos relevantes em nossas redes sociais. Venha nos seguir e confira!

Estamos no Instagram e no Facebook.