Category: Dermatologia


Saiba mais sobre o câncer de pele

By Administrador,

O câncer de pele é provocado pelo crescimento anormal e descontrolado de células. Este tipo de doença corresponde a mais de 30% dos diagnósticos de câncer no Brasil. Os tipos mais comuns são o carcinoma basocelular, carcinoma espinocelular e, o mais grave, o melanoma.

Tipos de câncer de pele

– Carcinoma basocelular: aparece nas células basais, a camada mais profunda da epiderme. Ele tem baixa letalidade e altas chances de cura se for detectado precocemente. Surge com mais frequência em áreas expostas pelo sol, como rosto, orelhas, pescoço, ombros e costas, mas isso não significa que ele possa aparecer em outras regiões do corpo.

– Carcinoma espinocelular: se manifesta nas células escamosas, que estão nas camadas superiores da pele. Assim como o carcinoma basocelular e como a maioria dos outros tipos de câncer de pele, ele também se desenvolve com mais frequência em lugares mais expostos ao sol.

– Melanoma: Apesar de ser menos frequente, é o tipo de câncer de pele com o maior índice de mortalidade entre os pacientes. Se for diagnosticado precocemente, tem altas chances de cura. Em geral, possui a aparência de uma pinta ou sinal e pode mudar de cor, formato ou tamanho.

Vale lembrar que pessoas que possuem a pele mais clara têm mais predisposição a desenvolver melanoma. Além disso, a hereditariedade também possui um grande papel para o surgimento do melanoma. Para pacientes que já têm casos na família, recomenda-se fazer exames preventivos.

Como reconhecer os sintomas

Em geral, o câncer de pele se manifesta na forma de pintas, eczemas ou lesões que demoram a cicatrizar. É importante que o paciente conheça seu próprio corpo e saiba identificar ao perceber alguma diferença. Nesse caso, deve-se procurar um dermatologista para que seja feito o diagnóstico correto.

Sculptra: saiba mais sobre este procedimento

By Administrador,

Sculptra é o nome que se dá para o ácido poli-L-lático, uma substância que possui diversas finalidades mas que, nesse caso, é utilizado para estimular a produção de colágeno, melhorando a textura da pele da região aplicada, e rejuvenescendo e restaurando o contorno facial.

Ele pode ser aplicado no rosto e no pescoço, mas também apresenta efeitos muito bons para braços, glúteos e coxas. Na face, traz uma melhora estética bonita e natural.

Vantagens do procedimento

O Sculptra é totalmente biocompatível com o tecido cutâneo, não causando reações alérgicas ou rejeições. Ele é totalmente decomposto e não apresenta riscos futuros em relação à sua presença na pele do paciente.

O colágeno que é formado pode durar mais de dois anos e os resultados obtidos são seguros e muito naturais, pois o ácido poli-L-lático segue as formas e contornos naturais da pele.

Além disso, o Sculptra é utilizado para diversos tipos de tratamentos, como:

– Flacidez das mãos, braços, axilas, barriga, glúteos e coxas.

– Flacidez do pescoço e do colo.

– Tratamento do sulco nasogeniano e labiomentual, mais conhecidos como bigode chinês e rugas de marionete.

– Tratamento de perda da gordura facial, incluindo os casos de paciente com HIV tratados com medicamentos antirretrovirais.

Quanto tempo dura o efeito?

Após ser processado pelas células do corpo, o Sculptra estimula a formação de colágeno, que dura entre dois e três anos.

Os efeitos são percebidos após a segunda sessão e a quantidade de sessões necessárias vai depender de cada pessoa. A maioria dos pacientes precisa de duas a três sessões, com um intervalo de tratamento entre quatro e seis semanas. A manutenção costuma ser feita com 1 sessão anual. A melhora é progressiva e duradoura.

O Sculptra não deve ser feito em mulheres grávidas (por falta de estudos sobre o uso do ácido poli-L-lático em gestantes), pessoas que tenham alergia ao produto ou ao algum de seus componentes e não deve ser aplicado perto de infecções cutâneas.

Vantagens do Fio Silhouette e Ellansé

By Administrador,

O fio Silhouette é uma tecnologia inovadora usada para redefinir as linhas faciais sem precisar de grandes incisões. O produto é feito de um fio de sustentação composto por ácido polilático com cones totalmente absorvíveis e combate as rugas e a flacidez.

A maior vantagem do fio Silhouette é não precisar realizar cirurgias. Ele é um procedimento rápido e minimamente invasivo. Além do duplo efeito, lifting e estimulador de colágeno, é totalmente possível voltar rapidamente para a rotina, com um aspecto natural e, o mais importante, sem cicatrizes.

As áreas que podem ser tratadas são os contornos do rosto, linha da mandíbula, bochechas, área de face média, sobrancelhas e pescoço.

Contraindicações

O fio Silhouette não é recomendado para pacientes que possuem qualquer alergia ou sensibilidade ao produto. Além disso, doenças de pele, doenças autoimunes, sepse ou infecção impossibilitam o uso do fio. Menores de 18 anos e gestantes ou lactantes não estão aptas para fazer o tratamento.

Ellansé

Assim como o fio silhouette, o Ellansé também é um estimulador de colágeno. Ele é destinado para a correção  de longa duração de rugas e restauração do contorno facial. Além de ser um bioestimulador de colágeno, é utilizado para preenchimento facial e tratamento de flacidez.

A aplicação do Ellansé é feita no próprio consultório, leva entre de 30 e 60 minutos e é praticamente indolor, já que é possível a utilização de anestésico nas regiões onde a agulha será inserida.

Quais são as principais indicações?

As principais indicações da aplicação de Ellansé são: tratamento de rugas e linhas faciais, reposição de volume facial, perda de volume nas têmporas, melhoria da textura da pele, reposição do volume nas maçãs do rosto, tratamento de sulco nasogeniano (bigode chinês), tratamento de sulco labiomentual (ruga de marionete), aumento do queixo e aumento da linha da mandíbula.

Melasma: o que é e como tratar

By Administrador,

O melasma é caracterizado por manchas escuras que aparecem na pele, geralmente na região do rosto, braços, pescoço e colo. Apesar de não possuir uma causa específica, seu surgimento pode estar associado à exposição solar, uso de anticoncepcionais, gravidez ou genética e aparece com mais frequência em mulheres do que nos homens.

As manchas geralmente têm formatos irregulares, mas bem definidos e simétricos, e merecem cuidado durante o tratamento, pois pequenos deslizes podem causar a piora do quadro.

Diagnóstico e tratamentos

O diagnóstico do melasma é feito pelo dermatologista e, seja qual for o tratamento indicado para o caso, um fator é essencial para o resultado é a proteção diária contra o sol. O uso de protetor solar é indispensável! Outros tratamentos podem incluir:

– Cremes: nem sempre são eficazes para todos os pacientes. Os mais usados são à base de hidroquinona, ácido glicólico, ácido retinóico e ácido azeláico.

– Laser: ajuda a clarear o melasma e pode manter as manchas sob controle. Porém, sem os cuidados e indicações corretas, pode piorar a pigmentação.

– Fotoproteção: basicamente consiste na aplicação de um filtro solar mais potente, com proteção UVA e UVB e contra luz visível .

– Peelings: existem diversos tipos. Caso esta seja a opção de tratamento, o ideal é conversar com um dermatologista.

– Microagulhamento: este procedimento consiste em provocar microperfurações na pele até a profundidade correta, podendo associar ou não aos agentes clareadores.

Vale lembrar que os tratamentos para melasma não devem ser interrompidos até que a condição do paciente esteja estabilizada.

Como prevenir

Apesar de ter tratamento, a melhor forma de combater o melasma ainda é a prevenção. Por isso, mesmo se o dia estiver nublado, não deixe de passar o protetor solar. Além disso, sempre que possível, use chapéus, bonés, óculos escuro e guarda sol.